Veja depoimentos de quem é HIV+, indectável e feliz

Campanha do Ministério da Saúde mostra depoimentos reais de quem vive com o vírus

Publicado em 01/12/2018
hiv indectável transmissão
O vírus estar indectável é indicativo de qualidade de vida e estratégia de prevenção

Ao completar 30 anos de luta contra o HIV, o mundo possui o que celebrar por a evolução da medicina, dentre outras conquistas, ter tornado possível uma pessoa levar o vírus da aids a se tornar indectável. E isso é ganho tanto para quem tem o vírus quanto para quem não o tem.

Curta o Guia Gay Floripa no Facebook

No primeiro caso, estar indectável é sinal de que a pessoa se cuida, segue orientações no uso de medicamentos e estilo de vida saudável. Levar o vírus a esse nível, no qual exames laboratoriais não o identificam, é ideal por evidenciar que o causador da aids está inativo no organismo.

E isso diz respeito também a estratégia para evitar novas transmissões. Explica-se: uma pessoa portadora do vírus HIV que o tenha indectável não o passa para parceiros sexuais em relações desprotegidas. Portanto, o ciclo de crescimento do número de indivíduos com o agente da doença é interrompido.

Por tudo isso, um dos grandes objetivos do mundo atualmente é que grande parte das pessoas com HIV se tratem e fiquem com o vírus indectável.

E esse é o foco de campanha feita pelo Ministério da Saúde para lembrar o 1º de dezembro, Dia Mundial de Luta contra a Aids.

Há depoimentos de héteros, homo, trans, mulheres, homens, jovens e idosos. Alguns vivem com o vírus há décadas. Todos mostram que é possível ter o vírus, ser feliz e olhar para o futuro.


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.