Após críticas, Antonia Fontenelle xinga homossexuais

Atriz usou termo 'ditadura', bastante comum dentre conservadores e intolerantes

Publicado em 28/01/2019
Antonia Fontenelle
Tudo começou, segundo Antonia, após ela comentar sobre um vídeo com Lulu Santos

Antonia Fontenelle entrou em uma polêmica com homossexuais na internet.

Curta o Guia Gay Floripa no Facebook

A atriz diz que fez um comentário no vídeo em que Lulu Santos é pedido em casamento pelo namorado, Clebson Teixeira.

Mais
>>> Lulu Santos é pedido em casamento pelo namorado durante show

Na página do digital influencer Hugo Gloss, que divulgou o vídeo, Antonia escreveu: "Que bonitinho!".

Logo depois, segundo ela, vários gays a criticaram pela frase. Antonia se revoltou e em um stories em seu Instagram chamou os seus críticos de "um monte de gayzinhos, viadinhos mau caráter agressivos".

Seus comentários ganharam apoio de parte de seus fãs, mas também geraram revolta em uma parcela da comunidade LGBT. Antonia cita a palavra "ditadura", que remete ao termo "ditadura gayzista", bastante difundido dentre conservadores e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Antonia é eleitora de Bolsonaro.

"Eu comentei em vídeo que o Hugo Gloss postou a respeito do namorado do Lulu, que pediu o Lulu em casamento. E eu achei muito bonitinho o jeitinho carinhoso dele. E eu comentei ‘ai que bonitinho’, do fundo do meu coração", relatou.

"Aí eu comecei a ver agora um monte de marcação de um monte de gayzinho, viadinhos mau caráter agressivos, violentos, me achincalhando porque eu usei ‘bonitinho’. Acham que eu deveria ter falado outra coisa ou ter feito um texto gigante a respeito do que eu vi."

"Eu queria dizer uma coisa pra você: vocês querem respeito, então têm que respeitar também. Vocês tão pensando o quê? Que eu vou me render à ditadura de vocês? Que agora tem que rezar a cartilha de vocês? Tem que falar tudo do jeitinho que vocês querem? Vocês vão pra casa do caralho! Vocês me respeitem, pois o buraco aqui é mais embaixo."

"Não me chamo Nego do Borel, não me chamou Ludmilla, não me chamo Anitta. Não me chamo pessoas que dependem de vocês, da ditadura de merda de vocês pra viver, tá? Me respeitem, hein? Querem respeito vão ter que respeitar. O que é isso? Os valores estão todos invertidos agora? As coisas têm que ser do jeito que vocês querem? Tem que bater continência pra vocês agora? Tem que passar e baixar a cabeça?”, questionou.


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.