SP: Lésbica é ofendida por cobrador de ônibus ao pedir troco

Bah Fernandes fez boletim de ocorrência. Em São Paulo, há lei de proteção contra ato discriminatório

Publicado em 01/04/2019
Cobrador xinga passageira lésbica dentro de ônibus em São Paulo
Discriminação ocorreu em ônibus que passa pela região do Ibirapuera, em São Paulo

A homofobia continua, infelizmente, cruzando o caminho de muitos. Na semana passada foi a vez de Bah Fernandes, que trabalha como passeadora de cães em São Paulo.

Curta o Guia Gay Floripa no Facebook

Post escrito por ela em suas redes sociais viralizou e fez com que ela fizesse nova publicação, desta vez em vídeo.

Nas imagens, Bah conta que ia ao trabalho e, ao passar na catraca, o seu Bilhete Único, usado no transporte público da capital paulista, não tinha créditos.

A moça, então, tirou do bolso a única nota que tinha, de R$ 20, e entregou ao cobrador. Ela relata que ele estava dormindo e fez "cara feia ao ter de dar o troco".

O cobrador jogou o troco em cima da caixa de dinheiro, Bah o pegou e ao passar pela catraca se desculpou: "Poxa, brother, eu não tenho troco menor, se eu tivesse eu te dava. Não precisa ficar nervoso".

Ele a encarou, e enquanto ela se dirigia para o fim do ônibus, que estava cheio, Bah ouviu o homem a chamando aos gritos de "sapatão" duas vezes.

Quando a moça sacou o celular e começou a filmá-lo, o cobrador continuou a insultá-la e fez gestos obscenos. Em certo momento, a chamou de "macho".

 

No Estado de São Paulo, a discriminação por orientação sexual ou identidade de gênero é passível de punição de acordo com a Lei 10.948/2001. As ofensas também podem ser enquadradas como crime de injúria.

Bah juntou testemunhas que estavam no ônibus e acionou sua advogada para entrar com ação contra o homem. Ela já fez boletim de ocorrência.

 


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.