Hétero exibe foto de casal gay no Pão de Açúcar e dá exemplo!

Loja de fotografias no famoso ponto turístico recebe reclamações de pais preconceituosos por causa de atitude inclusiva

Publicado em 30/07/2018
Foto de casal gay se beijando aparece em destaque em loja do Pão de Açúcar
Casal mineiro autorizou que imagem fosse divulgada no local. Fotos: The Intercept

A loja de fotografias que fica no Pão de Açúcar, um dos maiores cartões-postais do Rio de Janeiro e do Brasil, tem dado um exemplo e tanto.

Curta o Guia Gay Floripa no Facebook

O gerente da FTG-Fotográfica incomodava-se toda vez que via um casal gay que tinha vergonha de posar como casal em frente ao painel.

Ali, centenas de pessoas - muitos são casais - tiram foto diariamente para guardar de recordação do momento em que visitaram o icônico ponto turístico.

"Quando via um casal que poderia ser gay, eu perguntava: vocês são um casal? Se eles respondiam que sim, eu dizia: se vocês quiserem das as mãos ou se beijar, podem fazer isso", contou Pedro Lotti,  de 29 anos, ao The Intercept.

Até que um dia, um casal mineiro não só se beijou na foto como permitiu que ela fosse exibida. Inúmeras imagens estão à vista no local. 

Para a foto do casal gay, Lotti escolheu o ponto de maior destaque, onde é impossível não vê-la. 

"Eu fiz isso especificamente porque aqui 70% dos funcionários são gays, e passam por sérios problemas por conta disso", explicou o gerente, que é heterossexual.

E a homofobia mostrou sua cara: diariamente, nos últimos três meses, Lotti diz que recebe reclamações de pessoas que se dizem incomodadas com a foto.

"Infelizmente, a grande maioria reage mal", diz. Ele fala que muitos pais questionam se "seria necessário que isso estivesse aqui, onda as crianças podem ver".

Pedro Lotti, da loja do Pão de Açúcar

O curioso é que em muitas fotos há casais se beijando, mas só a do casal de dois homens gera reclamações.

"O problema", continua Lotti, "está sempre com os pais, não com as crianças. Dependendo da resposta dos pais, você vê se o filho reage positiva ou negativamente". São os pais, diz ele, que perpetuam nas crianças este tipo de "preconceito louco".

Vez ou outra, relata o gerente, ele vê pais que, ao serem questionados pelas crianças, respondem: "Isso é amor". 

"Isso não acontece muito frequentemente. Não é comum. O que me deixa feliz quando isso acontece, é que quando os pais falam com abertura e tranquilidade com os filhos, eles aceitam sem nenhum problema, porque as crianças nunca têm um problema com isso no início."


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.