5 'razões gays' para você visitar Copenhague

Linda sim! E muito arco-íris também! A capital da Dinamarca une civilidade e muita jogação

Publicado em 24/03/2019
copenhague copenhagen pride
Show dentro do festival Copenhagen Pride, o que vai se repetir na World Pride 2021

Por Welton Trindade, de Copenhague

Há algo de podre... Não, não... Há muito de arco-íris no reino da Dinamarca! E você pode provar isso dando-se de presente conhecer e curtir a capital do país. Que é? Que é a moderna, antiga, festiva e ordenada Copenhague. 

Curta o Guia Gay Floripa no Facebook 

Seja de bicicleta - nessa cidade que tem na magrela como meio de transporte um dos seus orgulhos civilizatórios - seja a pé, a capital dinarmaquesa é encantadora.

Exemplo está no fato de ser sede de uma das monarquias mais antigas do mundo e, ao mesmo tempo, ter a capacidade de deslumbrar visitantes e quem nela mora pelo design e arquitetura de marca contemporânea.  

E há razões específicas para LGBT terem ainda mais motivação para visitar essa cidade de 600 mil habitantes que, ao mesmo tempo, está nas primeiras colocações de mais caras e também dentro do país com um dos povos mais alegre do mundo.

1 - Conhecer país pioneiro em direitos LGBT
Enquanto em boa parte do planeta gays e travestis eram vistos apenas como vítimas da aids, na Dinamarca, era dado passo fundamental rumo à igualdade.

Em 1989, a Dinamarca foi o primeiro país do mundo a reconhecer a união legal entre pessoas do mesmo sexo. E não parou por aí o pioneirismo. Em 2012, foi o primeiro a reconhecer o casamento homo. 

A discriminação contra LGBT é crime no país, a identidade de gênero é respeitada e LGBT recebem proteção para que sirvam as Forças Armadas sem nenhuma limitação. Inclusive, há importantes nomes militares - e na política - que são abertamente do 'vale'. 

2 - Jogar-se no bar gay mais antigo do mundo

centralhjornet bar gay mais antigo do mundo

Que tal se divertir com shows musicais e de drag queens no lugar gay oficialmente mais antigo do planeta? Então seu lugar é o Centralhjornet, que dá pinta desde, caia de costas, 1917!

Esse bar simpático que abre todos os dias mesmo - natal e fim de ano inclusive - e tocado por voluntários, é declaradamente gay desde 1950, mas há mais de 100 anos havia relatórios do governo de que homens se encontravam ali para algo além que beber. 

3 - Tirar foto na Praça Arco-íris

regnbuepladsen copenhagen

Turistas não LGBT vão se contentar em ver o imponente prédio da prefeitura, na agitada avenida H.C. Andersens, mas não cometa esse pecado. Volte seu olhar para o quarteirão que fica do lado direito do edifício. Uma orgulhosa bandeira arco-íris hasteada permanentemente vai ser o sinal que você precisa. 

Além da foto obrigatória com o mastro de fundo, você pode comer algo no Oscar Bar & Café, mas precisa saber que o nome oficial dessa praça, desde 2014, é Regnbuepladsen, nada menos que Praça Arco-íris. Tudo isso em homenagem à comunidade LGBT. 

Ah, sim: a prefeitura é lugar especial para a história da comunidade homo local. Foi celebrado nela o primeiro casamento entre pessoas do mesmo sexo do país. 

4 - Curtir o roteiro LGBT
Você não vai chocar ninguém por andar de mãos dadas com seu boy. A cidade, super segura, estende a paz para a diversidade. Portanto, todo lugar é lugar para estarmos na cidade, mas o bom mesmo é interagir de forma mais direta - e quente - com a comunidade arco-íris do lugar. 

Para tal, há cerca de 30 bares, clubes, lojas, saunas e clubes de sexo, maioria localizados na chamada área Inner City, enfim, o centro da cidade. 

Duas pedidas: gastar algumas coroas dinarmaquesas na loja Homoware, com opções sem fim de itens arco-íris e de BDSM, e dar poucos passos a partir da prefeitura e experimentar a cena mais pesada de sexo da Dinamarca no clube SLM Copenhagen, unidade local da rede escandinava de clube masculino.

5 - Ser feliz na World Pride e no Euro Games 2021

world pride 2021 eurogames

Não precisa resistir à vontade de arrumar agora as malas e colocar Copenhagen e a Dinamarca no seu passaporte, mas não haverá prejuízo se você deixar para 2021. 

De 12 a 22 de agosto, a cidade vai se tornar a capital LGBT do mundo ao receber a World Pride e, ao mesmo temos o Euro Games. Será verão no país, e o agito vai estar nas ruas, calçadas e nos canais. 

E somado a isso, haverá dezenas de eventos, tais como show musicais LGBT diários em praça pública, festas ao ar livre e à beira do mar, casamento coletivo, marcha, e diversas competições esportivas. 

O agito é chamado de Copenhagen 2021. Mas pode chamar de tempo em que todos os considerados patinhos feios por alguns vão estar belos e orgulhosos tal como um cisne... arco-íris!


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.